Amadora recebe Ciclo de Jazz pelo quarto ano consecutivo

1 de Fevereiro de 2014

Pelo quarto ano consecutivo, o JACC – Jazz ao Centro Clube, em parceria com a Câmara Municipal da Amadora, leva aos Recreios da Amadora um ciclo inteiramente dedicado ao jazz. Durante os quatro dias de festival, de 5 a 8 de Março, passarão pelo palco formações de qualidade já reconhecida, como é exemplo a grande referência do jazz nacional Maria João, desta vez com o projeto OGRE, e nomes emergentes do jazz nacional.

O sucesso alcançado pelo festival, fortemente apoiado na qualidade dos músicos que apresenta e na presença assidua dos seguidores deste género musical, faz antever quatro dias de casa cheia.

No primeiro dia, pelas 21h30, José Peixoto e António Quintino apresentam “Volta”, um trabalho resultante da simbiose criada na conversa entre a guitarra de José Peixoto e o contrabaixo de António Quintino no tema “Na esquina, à espreita”. Neste trabalho, essa conversa é explorada ao extremo, navegando por universos sonoros apenas possíveis no mútuo entendimento destes dois músicos de excepção.

O segundo dia, 6 de Março, traz, pela mesma hora, a Orquestra Geração/Gera Jazz. O programa de Jazz do projeto Orquestra Geração teve início em 2010 numa colaboração com o Hot Clube de Portugal e destina-se a alunos de sopro e contrabaixo. Fruto da experiência colhida nestes anos de trabalho, em 2014 os alunos passarão por dois estágios com o Hot clube de quatro dias cada. O grupo mais desenvolvido trabalha mensalmente com o professor Eduardo Lála para atingir o objetivo de constituir esta Jazzband ou seja a GERABAND, objetivo esse a três anos, contando com 25 alunos.

O terceiro dia do festival, trará o pré-lançamento do CD dos Fail Better!. Esta que é a vigésima primeira edição da JACC Records, conta com músicos provenientes das cidades do Porto, Coimbra e Lisboa. Esta junção, vinda da reunião entre os membros dos THE NAP - Marcelo dos Reis (guitarras) e José Miguel (contrabaixo) - , Luís Vicente (trompete) e o duo portuense formado por João Guimarães (saxofone) e João Filipe (percussão), cria música que é capaz de percorrer territórios  bastante distintos, ora mais próximos do jazz, ora fazendo uso da colagem de fontes aparentemente inconciliáveis, como o post-rock e a livre improvisação com raízes na música contemporânea.

Por último, os Recreios da Amadora irão receber, também pelas 21h30, um concerto de uma figura central da cena jazzística nacional – Maria João, com o projecto OGRE. A voz inconfundível da cantora, junta-se a uma base instrumental electrónica e digital - o Fender Rhodes e sintetizadores de João Farinha, o computador e teclados de André Nascimento - deixando para trás definições específicas de género musical.

Trata-se de música fresca, de um projecto sem paralelo em Portugal que extravasa qualquer rótulo, mas que caberá, segundo a norma, na música de fusão. Drum'n'bass, dub, «electro», «8-bit music» e electroacústica são algumas das vertentes sonoras exploradas, tendo como base não só composições originais como também adaptações muito próprias de conhecidos temas da música pop/rock e do jazz.

 

Programa Completo  

5 de Março | 21h30

José Peixoto|António Quintino “Volta”

José Peixoto – guitarra | António Quintino – contrabaixo 

“Volta”, o mais recente álbum lançado pelo guitarrista José Peixoto e tendo António Quintino como parceiro, apresenta um diálogo invulgar entre estes dois instrumentos de cordas: a guitarra e o contrabaixo. A eles se junta, em alguns temas do cd, o percussionista José Salgueiro, cúmplice antigo de José Peixoto, emprestando vigor e exotismo à originalidade da proposta.

M4 | Entrada gratuita, mediante levantamento de ingresso e limitada à lotação da sala

 

6 de Março | 21h30

Orquestra Geração |Gera Jazz 

“O programa de Jazz do projeto Orquestra Geração teve início em 2010 numa colaboração com o Hot Clube de Portugal e destina-se aos alunos de sopro e contrabaixo das nossas orquestras. Fruto da experiência colhida nestes anos de trabalho, em 2014 optou-se por ter dois estágios com o Hot clube de quatro dias cada. O grupo mais desenvolvido trabalha mensalmente com o professor Eduardo Lála para atingir o objetivo de constituir a nossa Jazzband ou seja a GERABAND, objetivo esse que temos previsto alcançar dentro de três anos, contando com 25 alunos. Desde o ano de 2012/2013, o patrocínio do BNPParibas torna possível a realização dos referidos estágios, durante um período de três anos.”

M4 | Entrada gratuita, mediante levantamento de ingresso e limitada à lotação da sala

 

7 de Março | 21h30

Fail Better! [Pré-lançamento de CD JACC Records]

João Guimarães – sax alto | Luís Vicente – trompete | Marcelo dos Reis – guitarra |

José Miguel Pereira – contrabaixo | João Pais Filipe – bateria

Quinteto que reúne músicos provenientes das cidades do Porto, Coimbra e Lisboa cuja música é capaz de percorrer territórios bastante distintos, ora mais próximos do jazz, ora fazendo uso da colagem de fontes aparentemente inconciliáveis, como o post-rock e a livre improvisação com raízes na música contemporânea. Se algum manifesto deste grupo houvesse, poderia ser resumido no desejo de produzir uma linguagem de grupo em tempo real, sem qualquer nota pré-escrita. Daí, a referência a Beckett no nome do grupo - “No matter. Try again. Fail again. Fail better.”.

M4 | 5 €

  

8 de Março | 21h30

Maria João OGRE

Maria João – Voz | João Farinha – fender rhodes e teclados | André Nascimento – eletrónica

No OGRE, a voz inconfundível da cantora Maria João, junta-se a uma base instrumental eletrónica e digital - o Fender Rhodes e sintetizadores de João Farinha, o computador e teclados de André Nascimento - deixando para trás definições específicas de género musical. Fazem música na verdadeira aceção do termo, portanto, sem barreiras estéticas apriorísticas. No passado profissional e académico de todos os elementos está o jazz, no sangue a música lusófona, na alma uma vontade enorme de cruzar fronteiras, misturar influências e estéticas e, no âmago, um amor incondicional à música.

M4 | 5 € (oferta do CD “Eletrodoméstico”)